Novos Apoios ao Emprego e Economia
1 Junho, 2021

DESCONFINAMENTO: PORTUGAL COM NOVAS MEDIDAS A PARTIR DO DIA 14 DE JUNHO

DESCONFINAMENTO: PORTUGAL COM NOVAS MEDIDAS A PARTIR DO DIA 14 DE JUNHO

O primeiro-ministro anunciou, esta quarta-feira, que o desconfinamento do país “vai prosseguir”, com duas novas fases.

A partir de dia 14 de junho:

– O teletrabalho deixa de ser obrigatório e passa a ser recomendado;

– Cafés, restaurantes e pastelarias podem estar abertos até à meia-noite para servir e até à 1h para fechar;

– O restante comércio deixa de ter limitações de horários;

– Os transportes públicos, que tenham apenas lugares sentados, voltam a ter a lotação completa. Já nos transportes com lugares sentados e em pé, a lotação é de 2/3;

– Os espetáculos culturais podem decorrer até à meia-noite, sendo que nas salas de espetáculo a lotação é de 50%. Fora das salas, é necessário que haja lugares marcados e regras definidas para o distanciamento social;

– Os escalões de formação e modalidades amadoras podem ter público, desde que haja lugares marcados e as regras de distanciamento definidas pela DGS. Os recintos desportivos podem receber 33% da sua lotação;

A partir de dia 28 de junho e até ao final de agosto:

– Também os escalões profissionais ou equiparados podem funcionar dentro dos recintos com lotação de 33%;

– As lojas de cidadão passam a atender sem marcação prévia;

– Os transportes públicos vão poder circular sem restrição de lotação.

O que continua fechado até ao final do verão:

– Bares e discotecas;

– Festas e romarias populares;

– Casamentos, batizados, crismas e eventos equiparados com lotação superior a 50%.

Além destas duas novas fases de desconfinamento, o primeiro-ministro revelou que a matriz de risco vai manter-se, mas com algumas alterações. A partir de agora, vai passar a aplicar-se de forma distinta nos territórios de baixa (240 por 100 mil habitantes) e alta densidade populacional (120 por 100 mil habitantes).

O anúncio destas duas novas fases surge ainda com a ressalva de que há concelhos que podem recuar ou não no desconfinamento, caso o número de casos por 100 mil habitantes ficar acima do limite máximo definido pelas autoridades de saúde.